Por que morar no Canadá?

Por que largar tudo no Brasil e ir morar no Canadá?

Muita gente nos pergunta isso, e nos mesmos nos perguntamos as vezes. Vou tentar compartilhar aqui as motivações que nos levaram a vir viver aqui neste país, que muitos julgam longe e frio demais, acho que eu mesma já devo ter pensado isso no decorrer da vida.

Sempre quisemos viver fora do Brasil por um periodo para experimentar. Sabe como é? Conhecer um novo país, fazer parte dele por um tempo, absorver a cultura, fazer parte… E não apenas turistar. Nós somos turistas de carteira assinada, mas não queriamos viajar só de férias, queriamos uma experiencia mais ampla.

Vamo Kombiná
Uma paixão por viagens, viver e descobrir.

Mas isso não tinha data. Sabe como é, né? Um dia, quando der, quando tiver dinheiro, nao é a hora. Enfim, esse sonho morava dentro da gente, mas não era uma meta, não tinha dia e hora para acontecer.

Depois de terminarmos faculdade (já velhos e com filho, rsrs). Alcançamos o tão sonhado “Patamar” com um bom emprego, fazendo o que achavamos que gostávamos.
Tinhamos casa, carro, viajavamos com frequenciaTinhamos muitos amigos e muitos compromissos.  Enfim, chegamos lá! Conquistamos o que todos querem na vida.

Depois de um tempo, começamos a percebemos que manter essa vida custava. Mas não custava só dinheiro, custava tempo dedicado ao trabalho, custava horas extras, preocupações e estress. Custava saúde. Custava o tempo que não tinhamos para curtir a nossa família, nosso filho e nós mesmos.

Em 2015, compramos nossa Kombi, Carmen Lucia, ela foi um ponto de mudança em nossas vidas. Começamos a viajar e acampar a cada final de semana e feriado que conseguíamos. De repente, o que mais nos trazia alegria era viajar de kombi, a liberdade da estrada, assistir ao por do sol, sentar na areia da praia, fazer uma trilha e chegar numa cachoeira. Começamos sentir a alegria das coisas simples e perceber não precisamos de muito para ser felizes.

Aos poucos fomos libertando de varias ideologias, de coisas que achavamos necessárias para “ser feliz”. Mas não eram, na verdade, traziam angustia e incertezas.

Começamos a olhar para nossa casa e ver o quão grande era para nós. O quanto custava para mantê-la. O quanto de energia colocávamos para manter as contas pagas, as coisas arrumadas. Vimos que nossas coleções (livros, carrinhos, sapatos, coisas em geral) não tinham o menor sentido. E aquela casa grande, qual o Lucas nasceu e cresceu, qual demos tantas festas  e teve tantos momentos felizes, já recebia pouca gente, já não tinha mais tanta graça. Não cabíamos mais ali. Aquele ciclo havia se encerrado.

Podíamos e precisávamos viver com menos. Precisavamos liberar essa energia para coisas novas e novas experiências. Assim colocamos a casa a venda, exatamente um ano antes da ideia do Canadá vir a tona.  Fomos estudando inglês, por que isso seria importante e válido para qualquer que fosse a situação.

Nem sabemos ao certo como a ideia de vir morar no Canadá surgiu. Se foi vendo algum vídeo na internet ou conversando com alguém. Quando demos conta, estavamos lá pesquisando os processos de estudo para vários países e com a ideia do Canadá muito aflorada na cabeça. Pesquisamos bastante e levantamos o quanto precisava de dinheiro  e passamos a assistir e ler todo o conteudo que aparecia sobre viver no Canadá.

De repente final 2016 nossa vida foi tomando um rumo inesperado. A empresa que o Claudio trabalhava iria fechar. A empresa que Sandra trabalhava estava sofrendo mudanças nas quais ela não se encaixava mais. A casa foi vendida. E foi aí que percebemos que era agora ou nunca, o Universo estava conspirando a favor. O dinheiro que nunca dava ia se completar, a preocupação de deixar a casa vazia não ia mais existir.

A partir daí foi estudar, e estudar muito. Sandra estudando para o TOEFL, para garantir a nota para a matricula do college. Claudio estudando o processo de aplicação de vistos, fazendo contas e estimando valores. Planejamos e pensamos em cada situação que poderia acontecer. Como iriamos nos preparar para ir, e para voltar, se fosse o caso.

Aplicamos nossos vistos no dia 16/06/2017, estavamos morando em uma apartamento bem menor que nossa antiga casa, neste ponto mais de 70% dos nossos bens materiais haviam sido vendido/ doados / presenteados. Dia 16/08/2017 os vistos foram aprovados, o college teria inicio no dia 05/09, tinhamos 2 semanas para preparar tudo, nos despedir da família e viajar.

Para muitos, pareceu uma atitude preciptada a nossa vinda, mas na verdade, planejamos em silencio por mais de 2 anos. Não tínhamos sequer certeza que um dia isso tudo iria se realizar. Mas, a partir do momento que nos motivamos a colocar o plano em ação, ele deu 100% certo e hoje estamos aqui vivendo 1 de nossos SONHOS.

Viver de uma maneira mais simples, porém mais intensa, mais plena. Para isso precisamos “reiniciar”, “voltar as configurações de fabrica”. Deixar no Brasil toda a comodidade e facilidade para enfrentar uma vida nova, do zero. Mas enxergamos tudo isso com alegria e vemos como oportunidades de aprender e de criar o mundo que queremos viver, e hoje, é isso que fazemos. Esta é nossa motivação de viver no Canadá.

Tenho muito a falar sobre a vida aqui, e sobre as mudanças que enfrentamos desde que tomamos esta decisão. Quero compartillhar tudo isso com vocês, então, até o proximo post : )

2 comentários

  1. Gostei muito da história de vocês. Eu comecei a pensar no Canadá a algum tempo atrás e a vontade só vem crescendo. Mas,como bem sabe, muitas pedras aparecem no caminho: dinheiro, família, comodidades, etc. Eu tenho um bom emprego, público, assim como minha esposa, mas a vontade de me proporcionar uma vida melhor (longe da violência brasileira) e principalmente, proporcionar um horizonte maior para as minhas filhas, me leva a pensar em ‘abandonar’ tudo aqui e rumar para o Canadá. Estou até fazendo uma segunda graduação aos 36 anos para ampliar meus horizontes e minhas chances.
    Adorei seu blog.
    Espero acompanhar mais de suas histórias.
    Grande abraço.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.